Blog

A Tecnologias e a Administração do Conhecimento


Sabemos que o nosso negócio é Cilindro Hidráulico, mas sempre é bom ver com outros olhos, então segue abaixo o que separamos para você!


Conforme Yara Rezende Supervisora de Informações da Natura Cosméticos S.A. Bacharel em Biblioteconomia e Documentação pela USP/ECA.


http://www.scielo.br/pdf/ci/v31n1/a08v31n1


Existem dois tipos de conhecimento: ou conhecemos um assunto ou sabemos onde encontrar informações sobre ele.


Assim como vem ocorrendo nos demais âmbitos gestores das empresas, a tecnologia da informação também tem papel relevante na preservação e administração do capital intelectual da empresa, principalmente visando a alavancar os processos de inovação.


Os estoques da empresa voltada para o conhecimento são basicamente compostos de informação e os novos processos automatizados, que passaram a coletar e distribuir esse novo tipo de informação, aniquilaram os antigos e lentos sistemas de informação vertical hierarquizada.


Algumas empresas já experimentaram recompensas financeiras por investir em tecnologia para gestão do conhecimento. A criação de bancos de dados de conhecimento, além de facilitar e democratizar o acesso ao conhecimento, ajuda as empresas a trabalhar de forma global e independente da sua localização, possibilitando maior controle do conhecimento envolvido no crescimento e rotatividade de pessoal. “Cada indivíduo que sair da empresa levará consigo conhecimentos que vale a pena reter e cada novo funcionário trará conhecimentos que merecem ser compartilhados”.


As experiências mais comuns até o momento referem-se à criação de bancos de dados de cadastros do tipo páginas amarelas de especialistas e respectivos expertises; de processos e soluções desenvolvidos e respectivas customizações (também chamados de receitas ou lições aprendidas); de sistemas voluntários de perguntas e respostas; e de sistemas de inteligência do concorrente com respectivo perfil financeiro (balanços), comercial (carteira de clientes, canais de distribuição, marcas registradas, portfólio de produtos, market-share, ações na mídia, entre outros) e tecnológico (patentes, listas de especialistas e respectivos papers técnicos etc.).


A escolha da tecnologia de administração do conhecimento deve levar em conta os âmbitos técnico e conceitual do sistema de informação a ser criado, à luz da capacidade cognitiva da empresa. Não deve se limitar, portanto, a uma mera escolha de software.


O âmbito técnico do sistema é o que oferece soluções no nível das tecnologias da informação propriamente ditas, no nível do conhecimento aplicado e modelos de negócio. A análise do âmbito conceitual permite discernir as condições intrínsecas e extrínsecas ao sistema que também podem gerar resultados efetivos. Capacidade cognitiva é a aptidão para registrar, armazenar, usar e dotar de sentido dados compilados, possibilitando melhor embasamento na tomada de decisões e aplicação de recursos.


Para que seja efetiva, qualquer tecnologia de administração do conhecimento escolhida deve servir a um objetivo estratégico claro.


Como estão os seus números? Com está o seu estoque de conhecimento? Como está a sua capacidade de solucionar problemas pela administração de conhecimento?


Espero que esse texto tenha feito algum sentido para você, caso tenha feito, nossa meta foi alcançada.


Um forte abraço da família Tutto.